18/06/2021

Escrito por Vanessa Rosa

Em 2017, quando a Base Nacional Curricular (BNCC) de Educação Infantil e Ensino Fundamental foi aprovada e ficou determinada sua implementação, estávamos bem longe da realidade pandêmica que enfrentamos hoje, em 2021.

Com a chegada da Covid-19 as escolas foram fechadas, o ensino presencial passou a ser remoto e os alunos e professores não se encontram mais em uma metodologia de ensino como havia sido planejada.

Em casa, alunos e professores precisaram se adaptar às novas mudanças, com o apoio da tecnologia, replanejamento de atividades e inserção de dinâmicas. Mas a BNCC é colocada em prática nos municípios apesar das adversidades atuais. 

Algumas das alternativas de ferramentas de ensino-aprendizagem já conhecidas e mais utilizadas atualmente, são:

materiais impressos; aula por vídeo (computadores, notebook) e  aula por vídeo mobile (aplicativos de smartphones).

Então, nesse contexto de dificuldades, a Base foi e tem sido primordial para o desenvolvimento dos estudantes da rede de educação dos municípios que buscam garantir o mínimo esperado da aprendizagem dos alunos. 

Principalmente a BNCC é benéfica pois em muitas escolas pelo Brasil os documentos curriculares foram adotados com a proposta de revisão de conteúdos, visando adaptações para a incorporação das novas formações para alunos, formação continuada para preparação de professores, além do preparo de materiais didáticos de acordo com o esperado após essas mudanças.

  Imagem: livre freepik.

E como a BNCC é colocada dentro dos currículos?

A Base é uma normativa, por isso precisa ser o centro de todo o processo pedagógico. Contudo ela deve ser contextualizada localmente para a criação dos currículos. Depois disso, é o currículo a referência para os projetos político-pedagógicos das escolas, planos de aula dos professores, avaliações, materiais didáticos e planejamento de formação docente.”

Essa fala é de Maridalva Bertacini, coordenadora estadual da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação – Undime de São Paulo.

Com essa afirmação feita, compreendemos que a BNCC deve ser utilizada como o “chão” que sustentará ainda por muito tempo o modelo de educação esperado nos municípios, porém, as adequações (individualidades do ambiente de aprendizagem) de acordo com o social, cultural, étnico, de cada escola precisa ser contextualizado além da Base.

Fonte: site da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime).

Imagem: domínio livre.

De olho na aplicação: MEC com apoio da CONSED e UNDIME avalia e monitora a implementação da BNCC 

A Secretaria Básica de Educação (SEB) do Ministério da Educação, com apoio do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), lançou no dia 10 de março de 2021 o “Projeto de Avaliação e Monitoramento do processo de Implementação da BNCC na Educação Infantil e no Ensino Fundamental.  

A pesquisa visa consolidar um diagnóstico sobre o avanço da implementação da BNCC nas escolas municipais.

Com questionários que serão aplicados entre abril e junho de 2021 com profissionais das secretarias de educação estaduais e municipais, diretores e coordenadores, professores e alunos.

Até o momento não há a confirmação de quais seriam as escolas municipais pesquisadas, por isso, é indispensável que o maior número de municípios possível esteja alinhado com as normatizações da BNCC. 

Fonte: site da revista Conviva Educação uma iniciativa da UNDIME – União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação. 

Estabelecendo um plano de trabalho: com sistema de informação é muito mais fácil!

Em pandemia, muitas vezes esse pensamento surge: o planejamento do conteúdo a ser ministrado deve ser totalmente focado para não perder tempo!

O ano letivo é curto e são muitos os conteúdos que um professor precisa ensinar e habilidades que os alunos precisam aprender de acordo com a idade e período escolar em que estejam ensinando e aprendendo. 

É preciso garantir que o tempo seja bem administrado para que o professor não acabe por transmitir muitas informações, de uma só vez, dessa maneira não possibilitando ao aluno absorver todo o conteúdo. 

Tudo precisa ser avaliado, normatizado seguindo a BNCC, sem esquecer que utilizar a tecnologia (com um sistema que te ajuda e moderniza todos os processos) a nosso favor facilita muito a organização desse plano de trabalho e o acompanhamento da aplicação da Base nas escolas. 

Com certeza, a melhor escolha para o seu município se destacar na organização do planejamento com a criação de currículos de acordo com as normatizações exigidas é: ter um sistema que inclui consulta à Base Nacional Curricular dentro dele com a amostragem de buscas por habilidades relacionadas a cada período de aprendizagem. 

Com esse sistema é possível ter acesso até mesmo a separação de componentes e habilidades com análise da necessidade de informações que o profissional da educação precisar! 

Se torna muito mais prático moldar o currículo com a BNCC detalhada e disponível em apenas alguns cliques. 

Conheça nosso sistema educacional, saiba mais informações sobre essa funcionalidade e muitas outras! 

Ou solicite uma demonstração, nós ligamos para você! 

Gostou do conteúdo?

Siga a IDS nas redes, para ficar sempre bem informado:

Facebook

Instagram

Linkedin

E não deixe de compartilhar nosso conteúdo semanal!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *