14/01/2019

Quando falamos em saúde e gestão pública, os desafios são constantes.

Como uns dos serviços públicos mais utilizados pela população, a gestão de saúde pública demanda energia, tempo e assertividade.

Mesmo assim, gestores e equipe encontram diariamente obstáculos que atrapalham o dia a dia das estratégias de gestão.

É preciso buscar formas de vencer esses desafios, para melhorar não apenas o atendimento de saúde à população, mas o próprio gerenciamento de recursos e ações.

Nesse artigo, vamos falar um pouco mais sobre esses obstáculos e algumas alternativas que poderiam ser usadas para reverter esse cenário.

Confira!

Conheça os principais desafios da Gestão da Saúde Pública

As barreiras na Gestão na Saúde Pública brasileira se devem a uma série de fatores.

Falta de registros

Um dos principais desafios da Gestão da Saúde Pública ainda é a falta de registro de muitas atividades e atendimentos em unidades de pronto atendimento, postos de saúde e hospitais.

Esse é um gargalo que acaba por desencadear uma série de outros problemas.

A ausência de dados acaba fazendo com que nem todas as ações sejam contabilizadas no faturamento.

Consequentemente, os locais não recebem a quantidade de recursos necessários.

Além disso, quando há falta de informações, fica mais difícil identificar um perfil na população.

Por conta disso, problemas como falta de insumos se tornam comuns.

Desconhecimento do perfil do público

Mais um dos desafios da Gestão da Saúde Pública é o desconhecimento do perfil do público.

Isso acaba atrapalhando todo o gerenciamento de recursos e insumos.

É muito comum, por exemplo, ver unidades de saúde onde a quantidade de vacinas acaba sem atender a toda população, e em outras, sobram vacinas que se tornam inutilizáveis depois de um determinado período de tempo.

Isso acontece justamente por conta da falta de conhecimento sobre o perfil do público ou a falta de integração das informações.

Se houve uma análise periódica da população seria possível estratificar suas epidemiologias.

Por exemplo, se em determinada cidade a população de crianças fosse alta, os órgãos poderiam redirecionar uma quantidade maior de vacinas para essa fase, evitando assim que faltassem insumos.

Dificuldade no controle de ações

Outro desafio da Gestão da Saúde Pública é o de controlar as ações realizadas por esse setor.

Isso acaba acontecendo justamente em função dos dois obstáculos anteriores.

A falta de monitoramento e registro de informações acaba dificultando a criação de planejamentos nas unidades, postos de pronto atendimento e hospitais.

E com isso, ao mesmo que muita coisa deixa de ser feita, há um excesso de ações desnecessárias.

Podemos dizer que na gestão da saúde pública tudo está interligado. E é justamente isso que a torna tão difícil.

Por exemplo, se não há informação sobre a população idosa na cidade, uma unidade de saúde pode fazer uma ação solicitando insumos em excesso.

E com isso muita coisa pode ser desperdiçada. O contrário também acontece.

Má distribuição de médicos e especialistas

Mais um dos desafios da Gestão da Saúde Pública é em relação a distribuição de médicos e especialistas.

E isso é uma coisa que vem se agravando cada vez mais.

Vários fatores contribuem com essa má administração, mas um dos maiores é a falta de incentivo para esses profissionais trabalharem em regiões mais afastadas, como o Norte do Brasil.

A grande maioria dos profissionais se concentra nas capitais, principalmente da região Sudeste. Com isso as outras localidades do Brasil ficam prejudicadas.

Mas também é comum ver casos onde o posto acontece. Ou seja, sobram profissionais.

Em algumas cidades, por exemplo, o índice de natalidade é menor, mas a quantidade de obstetras é bem grande.

Ou seja, sobram especialistas que poderiam ser realocados para regiões que realmente necessitadas.

Repasse ineficaz de recursos

O repasse ineficaz de recursos também é um dos desafios da Gestão da Saúde Pública.

Isso ocorre, também, pelos obstáculos já mencionados anteriormente. Como tudo é interligado, uma coisa acaba afetando a outra.

Por exemplo, a falta de especialistas no interior faz com que muitas pessoas tenham que procurar atendimento nas capitais.

Como os registros não são feitos nas cidades de origem desses brasileiros, mas onde eles receberam o atendimento, as ações são efetuadas nesses locais.

Consequentemente, os municípios do interior continuam a não ter o repasse de recursos suficientes, e alguns locais recebem investimentos maiores do que realmente precisa.

Quando falamos de administração da saúde pública, é preciso ter em mente que apenas uma linha de frente não é suficiente para resolver os problemas já estabelecidos.

São necessárias várias ações simultâneas, que possam resolver questões paralelamente.

Quais as possíveis alternativas para resolver os desafios da gestão da saúde pública?

Para que os desafios da Gestão da Saúde Pública sejam vencidos, seria necessária uma força tarefa conjunta, com várias linhas de frente.

Começando pelo gerenciamento de informações. Existe a necessidade de um sistema realmente eficaz de registro de informações, que consiga alcançar todas as regiões do país.

Nele, seria necessário um recurso que realmente mostrasse o passo a passo no atendimento.

Assim, caso um paciente fosse encaminhado a outro município para buscar tratamento de um especialista, o Ministério da Saúde teria consciência dessa falta de profissionais em determinada região, e poderia encaminhar recursos para a contratação.

Com um ótimo sistema de Gestão Pública de saúde, o controle de informações, a integração entre hospitais, UPAS e unidades de saúde, o controle de medicamentos e todos os setores de uma gestão ficam mais otimizados, rápidos e seguros.

Assim, gestores e equipes tem mais análise de dados e inteligência de ações.

Você já conhece o IDS Saúde? Ele pode ser o principal aliado da sua gestão pública de saúde.

Os desafios da Gestão da Saúde Pública

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *